CALVÍCIE (ALOPECIA) – CAUSAS, TIPOS, ABORDAGENS

CALVÍCIE (ALOPECIA) – CAUSAS, TIPOS, ABORDAGENS

Alopecia é a perda de cabelo que vai além da norma fisiológica, ou seja, alopecia é entendida como perda de cabelo aumentada (não diretamente relacionada a danos ao folículo piloso) ou patológica (relacionada a danos ao folículo piloso).

Como você sabe, no ciclo de vida de um cabelo individual, várias etapas se distinguem: crescimento, fase de transição e queda. Sob a influência de vários fatores, a duração dessas fases pode mudar, o que leva à severa queda de cabelo e calvície. Esse problema ocorre tanto em homens quanto em mulheres, e o sucesso do tratamento depende em grande parte da oportunidade de se buscar ajuda competente e qualificada.

AS RAZÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DA ALOPECIA

Sabe-se que a tendência à queda de cabelo pode ser determinada geneticamente (programada), mas há uma série de outras razões que podem contribuir para o desenvolvimento da alopecia.

Entre eles, destacam-se:

Estresse regular;

Desequilíbrio de hormônios;

O parto e o pós-parto;

Nutrição desequilibrada e dietas não controladas;

Situação ecológica desfavorável;

Danos mecânicos ou químicos no couro cabeludo;

Processos infecciosos.

Além disso, a queda de cabelo pode se desenvolver com tratamentos específicos. A alopecia é freqüentemente observada em pacientes submetidos à quimioterapia, bem como após o uso prolongado de certos grupos de antibióticos, antidepressivos, retinóides sistêmicos ou outros medicamentos.

Estabelecer a causa da queda de cabelo é uma das tarefas mais importantes para um tricologista, pois o tratamento posterior e sua eficácia dependerão disso.

TIPOS E TIPOS DE ALOPECIA

Dependendo do mecanismo dos distúrbios do crescimento do cabelo, existem dois tipos principais de alopecia: sem cicatrizes e com cicatrizes. Nesse caso, o primeiro tipo pode ser transformado no segundo, na ausência de início de tratamento adequado e oportuno.

A alopecia não cicatricial é mais comum e pode ser difusa ou focal. Essa perda de cabelo se desenvolve por razões que não estão associadas a danos na cicatriz do folículo piloso.

Leia mais em: Follichair

A alopecia cicatricial é caracterizada por deformidade cicatricial e destruição dos folículos pilosos devido a inflamação, trauma ou outras causas. Este é o tipo de perda de cabelo de prognóstico mais desfavorável.

A alopecia cicatricial pode ser causada por infecções (virais, bacterianas, fúngicas), lesões físicas, queimaduras térmicas ou químicas que causam reações inflamatórias graves, no local em que se forma o tecido conjuntivo, bem como em alguns tipos de doenças de pele (com discoide lúpus eritematoso, pseudopelada de Broca).

TIPOS (FORMAS) DE QUEDA DE CABELO

Os tipos de alopecia cicatricial e não cicatricial são divididos em tipos (ou formas).

Tipos e tipos de alopecia

As formas mais comuns de queda de cabelo que ocorrem em homens e mulheres são:

Androgenético

Difuso (telógeno)

aninhado ou focal

A alopecia androgenética é a forma mais comum de queda de cabelo em ambos os sexos.

Nos homens, o processo de calvície começa na maioria das vezes na adolescência e passa por vários estágios: primeiro, são manchas calvas bilaterais acima da testa, em seguida, aparece uma mancha calva, que se expande gradualmente da testa ao topo da cabeça, e como como resultado, apenas uma estreita faixa de cabelo permanece nas têmporas e na nuca.

Nas mulheres, esse tipo de calvície progride mais lentamente e costuma se reduzir a um afinamento difuso dos cabelos, mais pronunciado também na região fronto-parietal.

O desenvolvimento de alopecia androgenética no estágio atual está associado a:

Primeiro , com um aumento na atividade da enzima 5 @ – redutase nos tecidos do folículo piloso, que converte a forma inativa do hormônio masculino testosterona em sua forma mais agressiva, a diidrotestosterona (DHT). Como resultado dessa atividade da enzima 5 @ – redutase ao redor das células do folículo capilar, a concentração de DHT aumenta, o que causa o efeito danoso, causando atrofia dos folículos capilares em zonas androgênicas dependentes (mais frequentemente o fronto- zona parietal).

Em segundo lugar , o aumento da sensibilidade dos próprios receptores das células do folículo capilar ao nível normal de DHT em áreas dependentes de andrógenos do couro cabeludo

Em terceiro lugar , a alopecia androgenética ocorre em pessoas com predisposição hereditária; para isso, são realizados testes genéticos para determinar os fatores de risco para a calvície.

o desenvolvimento de alopecia e métodos de tratamento

A alopecia androgenética se desenvolve em estágios e é avaliada de acordo com a escala de Norwood (para homens) e a escala de Ludwig (para mulheres).

ESCALA DE NORWOOD

Escala de calvície de Norwood

ESCALA LUDWIG

Escala Ludwig

O diagnóstico da alopecia androgenética é estabelecido com base em: queixas do paciente, exame local, avaliação dos dados obtidos durante a tricoscopia e fototricograma , resultados de exames de sangue obtidos no estudo do estado hormonal, bem como métodos de pesquisa adicionais na identificação de distúrbios hormonais.

Os princípios básicos do tratamento da alopecia anrogenética são o uso de drogas antiandrogênicas externa e internamente, e o tratamento sintomático dos danos ao folículo piloso (fisioterapia, administração subcutânea de drogas no couro cabeludo), que foram estabelecidos durante a tricoscopia e fototricograma.

Alopecia difusa (telógena) – manifestada por queda de cabelo ativa uniforme em toda a superfície da cabeça em ambos os sexos e se desenvolve sob a influência de um fator de estresse e com nutrição desequilibrada inadequada. Nesses casos, os processos metabólicos nas células do folículo piloso são interrompidos, o que leva a um encurtamento da fase de crescimento e danos à haste do cabelo. A alopecia difusa nunca termina com o desenvolvimento de fibrose e é melhor tratada.

Alopecia difusa

O diagnóstico da forma difusa da alopecia é baseado na tricoscopia e no fototricograma. Com o diagnóstico correto, a eliminação dos fatores que levam ao desenvolvimento da alopecia e com o tratamento devidamente selecionado, a restauração completa do crescimento do cabelo pode ser alcançada.

No tratamento patogenético da alopecia difusa, drogas e métodos são usados ​​para melhorar os processos metabólicos no folículo piloso.

A alopecia areata (alopecia areata) é uma consequência de processos autoimunes nos quais os folículos capilares são afetados seletivamente. Com esta forma de alopecia, nota-se a formação de focos nos quais o cabelo não cresce. Esses focos podem ter diferentes formas e tamanhos, podem se fundir e estão localizados em diferentes partes da cabeça e do tronco. As causas e mecanismos exatos para o desenvolvimento desta forma de queda de cabelo não foram definitivamente estabelecidos. Devido ao dano autoimune aos folículos, o cabelo passa rapidamente da fase de crescimento para a fase de transição e a fase de queda de cabelo.

O diagnóstico é estabelecido a partir da identificação de focos típicos de alopecia, exame local e geral, dados obtidos durante a tricoscopia. Às vezes acontece que a alopecia areata não tratada se transforma em uma forma universal (queda de cabelo em toda a pele), que é menos tratável. O principal método patogenético de tratamento é a eliminação da inflamação na lesão, o uso de drogas que reduzem a atividade de agressão autoimune, seguido de tratamento estimulante.

Alopecia areata

Em nossa clínica, para estabelecer o tipo e tipo de alopecia , o tricologista prescreve um exame abrangente, que inclui a anamnese, o exame geral do paciente, o exame clínico e instrumental, obrigatoriamente tricoscopia e fototricograma e outros tipos de diagnósticos.

COMO A CALVÍCIE É TRATADA?

Os métodos modernos de tratamento da alopecia são eficazes, mas nem sempre permitem a restauração completa da linha do cabelo. No entanto, em quase todos os casos, você pode conseguir uma certa melhora e retardar o processo de queda de cabelo tanto quanto possível.

Para isso, os seguintes tipos de terapia podem ser aplicados:

Tratamento hormonal;

Preparações que melhoram a nutrição do folículo piloso;

Terapia antiinflamatória;

Fisioterapia;

Tratamento sintomático.

O tratamento eficaz da calvície é impossível sem eliminar a causa da doença, se possível. Por exemplo, eliminar fatores genéticos não funcionará, mas todos são capazes de mudar sua dieta e estilo de vida, aprender como aliviar o estresse, etc.